sexta-feira, outubro 20, 2006

Estou cansada... estou a quebrar... finjo que sou forte e no fundo pareço uma criança abandonada, que no seu quarto chora sozinha porque não aguenta tanto peso em cima...
Para além de estar a enfrentar uma "doença prolongada" de uma pessoa muito importante para mim, hoje a minha mãe foi à "faca"...
Nem sei bem por onde começar...
Não sei se falo da minha mãe ou do meu pai...
A minha cabeça está um turbilhão, sinto-em revoltada com as injustiças da vida, sei que tenho de aprender a ter calma e lidar com estas situações e até tenho conseguido mostrar uma firmeza, mas que é muito complicado é...
Hoje sinto-me frágil... agora que estou no meu refúgio, posso quebrar... amanhã será um novo dia...
O meu pai está a ficar velho e eu não estou a aceitar a sua velhice muito bem, aliás, nada bem...
Sempre pus o meu pai num pedestal... a sua palavra era a verdade absoluta e inquestionável, ok, tenho de dizer que deixei de viver com ele desde os meus quinze anos! Agora, que questiono as suas verdades é o fim do mundo... habituei-o mal... está a ficar rabugento, implicativo, acha-se o dono da verdade (porque assim o "eduquei" é verdade...) e se é contrariado, faz-se de vítima... Tem de ser tudo à sua maneira.
Claro, como um bom velho que está a ficar, questiona tudo, acha que toda a gente o quer enganar, demora eternidades nos sítios onde vai, porque faz as perguntas mais absurdas que ninguém pensa que alguém é capaz de fazer... E agora deu-lhe para fazer escândalos...
A minha mãe entrou para o bloco operatório e eu tive a infeliz ideia de o levar para comer qualquer coisa...
Como não ando muito bem, achei por bem, não falar muito, esperar que ele se decidisse onde queria ir e o que queria comer.
Demos duas voltas ao local... depois de muita indecisão, lá escolheu, tirámos o que queriamos e na altura de pagar... resolveu questionar tudo e todos... e a fila a aumentar... pois nem eu estava a entender a sua dúvida, como é que alguém poderia esclarecê-lo? E a fila a aumentar... Depois de muita discussão, sobre o quê é que não faço a menor ideia, o empregado deve ter achado que não valia a pena entrar em discussão com um velho e lá cedeu para não o ouvir mais... Ai... o troco estava errado... Isto não podia ter acontecido... "Isto é caso para chamar alguém, por favor, estejam atentos, assim não pode ser..." E a fila? Pois... Achei por bem ter de intervir neste momento antes que as coisas ficassem muito más. Levei-o dali para fora e dei-lhe toda a razão do mundo, só assim se calava e eu poderia jantar em paz.
Ok, eu sei que o meu pai fica muito nervoso, sempre que a minha mãe é operada. Há dez anos atrás, fui muito dura com o meu pai, porque ele conseguiu por toda a gente nervosa, com as suas parvoíces... agora só estava eu... mas que rica sina a minha... Tenho uma pessoa a morrer... a minha mãe a ser operada e ainda tenho de ver o meu pai a ficar senil??? Custa-me bastante ver o meu pai a ficar velho, quem o viu e quem o vê, mas vou ver se não me esqueço de não ir jantar fora com ele tão cedo!
Felizmente a operação da minha mãe correu bem e o meu anjo vem amanhã ter comigo. Ao menos alguma coisa boa nestes últimos dias...

(um ligeiro desabafo, sim, muito ligeiro, porque a minha vontade é de gritar mesmo... e de dizer asneiras... )

7 comentários:

t. disse...

Beijos e mt energia :-)

Narizinha disse...

Obrigada t., faço os possíveis! ;)

AR disse...

Hang in there!!! Não é fácil, não o vai ser... But you have to hang in there, they are counting on you!!!
Força! E calma... Muita calma!

Castanha disse...

Lamentavel e inevitavel o conjunto das descrições que fazes... Força amiga... venha donde vier...pois acabo de concluir que neste processo fui uma "autêntica" ausente...mesmo tentando não o ser...
Há aquelas fases na vida que só vemos o que queremos...que só são sentidas as presenças desejadas...
Beijo

Narizinha disse...

ar, obrigada, vou tentando!
castanha, amiga, não te sintas ausente porque não estás. Fisicamente está toda a gente ausente porque assim o quero, é melhor, amiga, estou a disparar em todas as direcções quando posso, assim não acerto em ninguém!
Beijos
;)

Anónimo disse...

Como te entendo! :(

Um pouco de força do norte para ti!!! :P

Narizinha disse...

Obrigada, jotinha, muito obrigada...
Bjs