sábado, abril 22, 2006

A ti

Alguém uma vez disse-me para voar... abriu a porta de sua casa e disse-me para levantar voo e voei, voei, voei para os teus braços.
Contigo aprendi, cresci, ri-me, chorei no teu colo, vivi... mas tudo o que começa, termina...
E a nossa história terminou.
Quero voar de novo mas tu não me abres a porta, porquê?
Porque é tão dificil?
Vejo um ninho onde pousar e tu tentas tapar-me os olhos.
Desta vez não vai ser como sempre foi... à tua maneira... tu não me abres a porta, mas eu vou furá-la, parto o vidro da janela, liberto-me de ti e vou voar... para bem longe de ti...


Esta será a última lágrima que irá cair antes de partir, sim, vou voar, está decidido, não há volta atrás, foste tu a decidir...

A ti, que me ensinaste a amar, deixo-te esta lágrima...

Agora vou...